O BlogBESSS...

Bem-Vindos!


Blog ou Blogue, na grafia portuguesa, é uma abreviatura de Weblog. Estes sítios permitem a publicação e a constante atualização de artigos ou "posts", que são, em geral, organizados através de etiquetas (temas) e de forma cronológica inversa.


A possibilidade de os leitores e autores deixarem comentários, de forma sequencial e interativa, corresponde à natureza essencial dos blogues
e por isso, o elemento central do presente projeto da Biblioteca Escolar (BE).


O BlogBESSS é um espaço virtual de informação e de partilha de leituras e ideias. Aberto à comunidade educativa da ESSS e a todos os que pretendam contribuir para a concretização dos objetivos da BE:

1. Promover a leitura e as literacias;

2. Apoiar o desenvolvimento curricular;

3. Valorizar a BE como elemento integrante do Projeto Educativo;

4. Abrir a BE à comunidade local.


De acordo com a sua natureza e integrando os referidos objetivos, o BlogBESSS corresponde a uma proposta de aprendizagem colaborativa e de construção coletiva do Conhecimento, incentivando ao mesmo tempo a utilização/fruição dos recursos existentes na BE.


Colabore nos Projetos "Autor do Mês..." (Para saber como colaborar deverá ler a mensagem de 20 de fevereiro de 2009) e "Leituras Soltas..."
(Leia a mensagem de 10 de abril de 2009).


Não se esqueça, ainda, de ler as regras de utilização do
BlogBESSS e as indicações de "Como Comentar.." nas mensagens de 10 de fevereiro de 2009.


A Biblioteca Escolar da ESSS


PS - Uma leitura interessante sobre a convergência entre as Bibliotecas e os Blogues é o texto de Moreno Albuquerque de Barros - Blogs e Bibliotecários.

quarta-feira, 2 de março de 2011

O significado da Ilha dos Amores n’ Os Lusíadas

Trabalho realizado por Joana Nunes, nº 11, 12º B, 2010/11
Prof. João Morais

O episódio da Ilha dos Amores, dividido pelos Cantos IX e X d’Os Lusíadas, surge como conclusão da epopeia de Luís de Camões. Vénus, deusa do Amor e da Beleza, auxiliada por Cupido, seu filho, decide recompensar os portugueses pelo seu esforço, bravura, persistência e dedicação na tarefa da superação da humanidade. Assim, prepara-lhes uma ilha onde se encontram ninfas à sua espera. Este merecido prémio representa a glorificação do herói português, a realização de um novo estatuto: a imortalidade enquanto aspiração máxima do ser humano. Pode dizer-se que este é o episódio que desvela todo o significado da epopeia.
            Na Ilha dos Amores os prazeres concedidos aos portugueses inscrevem-se tanto no nível material como no espiritual do Herói. Por um lado, ao nível material temos as recompensas do amor físico e o banquete oferecidos por Tétis e pelas restantes ninfas. Por outro lado, o nível espiritual reporta-se à apresentação que Tétis faz da Máquina do Mundo a Vasco da Gama. Este último momento é de grande importância já que apenas aos deuses era possível a visualização do Universo. A ambição da descoberta de novas terras proporciona aos nautas esta honra, um símbolo de todas as compensações que os Descobrimentos trazem ao Homem.
            Ao contrário dos episódios da Inês de Castro e do Adamastor, este é o episódio da Epopeia e um exemplo raro da obra camoniana em geral em que existe a plenitude amorosa, onde existe o prémio e não o castigo por amor. É através do amor físico que os navegadores interagem com as ninfas imortais, depois das provas que representam o amor pela pátria, a devoção e a superação das dificuldades que os tornam também divinos, provando assim que nada resiste à força do amor.
            Este locus amoenus, paisagem ideal e ambiente de tranquilidade, é o Ideal, não compreendido nas coordenadas do tempo e do espaço, e, portanto, a realização da utopia. É um local de harmonia, com o murmúrio das águas, o cantar dos pássaros, os variados sabores de frutos, o perfume das flores, a suavidade, a frescura, a verdura e a segurança; a Natureza na sua plenitude de singeleza e despojamento. Apenas nesta Ilha se podem esquecer as decepções, o pecado e a insatisfação, sendo assim, um espaço onde a concretização total do amor é possível; onde, após os tormentos, os sacrifícios e o sofrimento, os portugueses podem alcançar um estatuto grandioso.
            Camões coloca neste episódio toda a sua imaginação e, utilizando elementos do Renascentismo e do Humanismo, confere aos portugueses a possibilidade de realização completa, sem as limitações e as contradições impostas pela Natureza. E assim os navegadores conseguem alcançar a imortalidade. Mas isso também se aplica ao poeta que, ao compor esta epopeia e ao dedicá-la ao herói português, dignifica os seus feitos, permanecendo vivo não fisicamente, mas espiritualmente, através desta e de muitas outras obras.

Sem comentários:

Enviar um comentário